A Visitação da Virgem Santíssima á Isabel O Encontro de duas mães e o Espírito.

O episódio da visitação, não é simplesmente um encontro familiar sugerido do afeto,ou seja, do desejo de ajudar Isabel, é um fato histórico/salvífico, na qual no encontro, entre duas mães, faz ecoar o reconhecimento dos filhos que ambas portam no ventre. Das palavras do anjo Gabriel, Maria compreendeu o legame principal da sua missão, dos dois nascimentos que estavam por vir e imediatamente se colocou a serviço, para que o plano da salvação, continuasse a acontecer.

Seis meses antes, Isabel teve a alegria de uma concepção misteriosa, acompanhada de fatos extraordinários como narra São Lucas: “Nos dias de Herodes, rei da Judeia, houve um sacerdote chamado Zacarias ( cujo nome significa: Deus é memória), da classe de Abdias. Sua mulher era descendente de Aarão e chamava-se Isabel ( cujo nome significa: Deus há jurado).Ambos os dois eram justos diante de Deus e, de modo irrepreensível, seguiam todos os mandamentos e estatutos do Senhor. Não tinham filhos, porque Isabel era estéril e os dois eram de idade avançada” ( Lc 1, 5-7).
Assim o evangelista nos faz conhecer este casal, nos apresentando de forma simples, a humildade e confiança deles, depois São Lucas continua seus escritos, narrando o evento do anjo Gabriel, enquanto Zacarias estava em seu turno de serviço no Santuário do Senhor, como encontramos no Evangelho de Lucas (1, 13-17), tomaremos o último versículo: “ Ele caminhará a sua frente com o espirito e o poder de Elias, afim de converter os corações dos pais aos filhos e os rebeldes á prudência dos justos, para preparar ao Senhor um povo bem disposto.”
As últimas palavras de Zacarias, nos levam a meditar sobre a reconciliação dos homens, entre eles e Deus precisamente, nos indicam claramente a mensagem de penitência e conversão que João Batista, proclamou e testemunhou, com sua vida e com a sua pregação.Continua São Lucas: “ Completados os dias do seu ministério, voltou para a casa. Algum tempo depois, Isabel, sua esposa, concebeu e se manteve oculta por cinco meses dizendo: “ Isto fez por mim o Senhor, quando se dignou retirar o meu opróbrio perante os homens” ( Lc 1,24-25).
Diante deste episódio percebe-se um grito de júbilo por aquilo que o Senhor, realizou nela. O anúncio angélico da concepção (já por ser miraculoso), porque era de idade avançada, e em condição estéril, a faz compreender que faz parte do Plano Divino, na qual a sua humilhação era estada permitida por Deus. Pouco depois que Isabel, saiu do escondimento, eis que chega Maria Santíssima:
“ Naqueles dias, Maria pôs-se a caminho para a região montanhosa ( a sul d’ Oeste de Jerusalem),
dirigindo-se apressadamente a uma cidade de Judá
( segundo antiga tradição, Ain Karim).Entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora ouvindo Isabel a saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre e Isabel ficou repleta do Espírito Santo.Com um grande grito exclamou: “ Bendita ès tu entre as mulheres e bendito o Fruto do teu ventre.” ( Lc 1, 39-42).
Pela primeira vez, o segredo guardado cuidadosamente, por Maria Santíssima, vem proclamado á voz alta, é um encontro alegre, dominado pela Revelação do Espirito Santo, que faz nossa Santíssima Mãe, esquecer do cansaço da viagem ( cerca de 160 Km, percorridos em 5/6 dias) e servir cuidadosamente sua prima.
Meus caros irmãos e irmãs, não é difícil fazer a ligação aqui, do plano de salvação deste episódio. É um encontro de duas mães e de dois filhos,onde um único legame as unem : o cumprimento e a realização das promessas divinas, que atuam na Encarnação do Verbo, depois de ser iniciado com a concepção do Batista.
Por isso,são de máxima consideração ás palavras de Santa Isabel. È a primeira pessoa que exalta Maria, predileta de Deus e sobre todas as mulheres, é também a primeira pessoa que reconhece Maria como Mãe do Senhor, iniciando aquela série de bençãos e invocações, que percorrerão séculos, em todas as gerações. È Isabel, que proclama a Beatitude evangélica, atribuindo-a à Santa Mãe de Deus, aqui está o verdadeiro segredo da grandeza da Virgem, na qual Cristo, Senhor nosso, fará alusão durante sua vida pública ( Lc 11,27-28).
E evidente a missão de Maria Santíssima no encontro com Isabel: ela é aquela que porta Jesus, pelo intermédio do Espirito Santo e obtêm aquela graça que ilumina as mentes, transforma as pessoas ( o Batista), enchendo-o de alegria, ainda no ventre de sua mãe.
Que como Santa Isabel, saibamos acolher a Medianeira em nossas vidas, porque através dela, vem Jesus, o Justo e o Santo.

Um Santo Advento para todos nós;
Frei Marlom Moreira, OCarm.