Encontro com Madre Teresa

Encontro com Madre Teresa
Avatar de vozdedeus

Encontro com Madre Teresa

Este encontro, decisivo para ambos, realiza-se em Medina, onde Frei Juan veio cantar a primeira missa – o ano é 1567 -. Também não sabemos o dia em que se encontram, pode ser entre setembro e outubro. Madre Teresa, 52 anos, vive a plenitude de sua vida humana e de seu processo espiritual; Juan mal tinha 25 anos. Antes da reunião, Madre Teresa foi informada por um colega de classe de Fray Juan que esse pequeno papagaio-do-mar de baixa estatura é um gigante em virtude. Teresa explica-lhe seus planos e seus desejos, para começar o mesmo estilo de vida entre os frades que ela começou entre as freiras. Fray Juan o ouve e eles se conectam, porque ele carrega em seu coração o desejo de uma vida mais dedicada. Frei Juan pede apenas uma coisa a Madre Teresa: que ela não demore muito para começar. Frei Juan está com pressa, Você sempre estará com pressa quando se trata de servir a Jesus. Um dia o próprio Jesus lhe perguntará: o que você quer que eu faça por você, em troca de tudo o que você me serve? João responderá sem hesitar: Senhor, sofre e seja desprezado por ti…

No ano seguinte, 1568, Frei Juan terminou seus estudos na Universidade de Salamanca e retornou ao seu convento em Medina. Aqui novamente ele encontra Madre Teresa, que não esqueceu a pressa de sua “senequita” (como a Madre a chama carinhosamente). Ele diz a ela que encontrou uma casa, como quase todas as que Madre Teresa encontrou. Há outro frade pronto para a nova companhia: Pe. Antonio de Heredia, um frade bem plantado, a quem, segundo Madre Teresa, não falta um “mas”. As crônicas contam que depois de conhecer Frei Juan, Madre Teresa disse a suas freiras que a ajudassem a dar graças a Deus porque ela já tinha um irmão e meio. Talvez pensemos que o médium foi Frei Juan por causa de sua baixa estatura. Pois é exatamente o contrário. Com certeza era a mãe de sua jovem aquisição; Pe. Antonio duvidou mais:

Antes de iniciar o novo caminho, Frei Juan fez seu noviciado junto com Madre Teresa. A Mãe parte de Medina para a fundação de Valladolid. Frei Juan o acompanha. Serão dias de aprendizado do “estilo de fraternidade e recreação” que Madre Teresa imprime em seus conventos. Ele quer que os frades aprendam o mesmo estilo. Trata-se da identidade carismática que Madre Teresa recebeu para o bem da Igreja. Esses dias acontece um episódio

carinhosa com a Madre Fundadora. Frei Juan experimenta o hábito marrom de Carmelita Descalzo, que com sua capa branca e pés descalços oferece à Mãe a primeira figura de sua obra entre os homens que estão para nascer…

Duruelo

Pouco é o que Madre Teresa conseguiu lhe dar para a fundação de Duruelo: alguns selos de papel e algum dinheiro. Com a ajuda de um irmão leigo, Juan inicia o caminho para Duruelo. Em breve a acomodação da casa estará finalizada. Será no dia 28 de novembro de 1568 quando será celebrada a solene inauguração. Será neste momento, quando Frei Juan de Santo Matia muda seu nome para Juan de la Cruz.

Formador de Descalzos

Duruelo, Mancera Pastrana. A partir de agora começa uma vida de movimento contínuo para Pe. Juan. Será o suporte essencial para o trabalho iniciado por M. Teresa. Em todos estes lugares, a mão de Frei Juan de la Cruz revela-se segura para acompanhar os novos jovens que se inscrevem no novo ideal de vida, desenhado por uma mulher, e que Juan aprendeu ao seu lado. Caberá a ele dar aquele toque diferente, mas necessário, porque é para homens.

Confessor da Encarnação

Não percamos de vista que neste momento Juan tem 30 anos, é 6 de outubro de 1571, quando Madre Teresa é enviada como Priora ao Mosteiro da Encarnação. Uma obediência custosa para a Santa, mas diante de um pedido amoroso do Senhor, está Teresa. Voltar para aquela casa barulhenta, com mais de 180 freiras, já acostumadas com seus pombinhos, deve ser um choque brutal. Mas ela está disposta a ajudá-los e para isso nada melhor do que pedir a Frei Juan de la Cruz que venha como confessor. Juan de la Cruz permanecerá, de 1572-1577, em um frutífero apostolado, entre as freiras da Encarnação. Serão os dois, Teresa e Juan, os arquitectos da mudança que terá lugar naquela casa. A Mãe, por dentro, e Juan, por fora, conseguirão fazer o céu desse burburinho da casa. Será também neste momento,

Frei João da Cruz conheceu Madre Teresa de Jesus pela primeira vez em 1567. Ela havia se mudado de Ávila para Medina del Campo para realizar sua segunda fundação de freiras. Ela ainda não era uma mulher famosa, mas já havia percorrido um longo caminho de vida espiritual e comunitária, que incluía a escrita do Livro da Vida , o Caminho da Perfeição e as Constituições .

A ruptura pelas divisões que a Reforma Protestante havia causado na Igreja e movida por seu amor às almas e seu desejo de que Cristo fosse conhecido e amado por todos, ela fundou o cconvento de São José, onde um pequeno grupo de mulheres se reuniu reunido com ela para viver em honra de Jesus Cristo, orando pela Igreja, por seus pastores e teólogos.

Seu estilo de vida original, onde se uniam o apreço pela cultura e uma vida fraterna muito simples, longos momentos dedicados à oração silenciosa e um senso de humor desenvolvido, chamou a atenção do general da Ordem, Pe. Juan Bautista Rubeo, que lhe deu permissão fundar quantos conventos.

Santa Tereza percebeu que, para o sucesso de sua missão, precisava do apoio de alguns homens que vivessem seus ideais e pudessem servir como confessores e pregadores das freiras. A princípio, o general o negou, mas – por sua insistência – finalmente lhe deu permissão para fundar dois conventos masculinos de “carmelitas contemplativas”.

Procurando candidatos, entrevistou alguns religiosos, sem chegar a nada de concreto. O prior de Medina, Pe. Antonio de Heredia, quis ser o primeiro a aderir ao seu projeto, mas não se convenceu.

Enquanto isso, Frei Juan foi ordenado sacerdote no mesmo ano e viajou de Salamanca a Medina para celebrar sua primeira missa. Falaram dele à mãe fundadora, que o chamou.

Depois de algumas palavras, Teresa compreendeu que se tratava de uma pessoa excepcional e explicou-lhe seus planos.
Ele lhe falou de seu desejo de ir para a Cartuxa, buscando uma dedicação mais generosa ao Senhor.
Ela lhe respondeu: “Por que você quer sair e procurar o que pode encontrar em sua própria Ordem?” E convidou-o a juntar-se à sua aventura fundadora, para a qual tinha as autorizações necessárias.
Parecia bom para ele, “desde que fosse feito logo”.
Santa Teresa ficou encantada com Frei Juan e disse às suas freiras: “Ajude-me a dar graças a Deus, que já temos um frade e meio para o nosso propósito”.

Tagged in :

Avatar de vozdedeus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *